Poemas declamados

Loading...

27 março, 2009

««Somente criança««


Vislumbro esse olhar inquieto
Transbordando de mágoa e dor
Enfraquecido no desamor
De quem enfrenta a vida
Sozinho
Sem futuro nem saída

Transportas na sacola
A esmola
Pedaços de raiva
Essa raiva de ser criança
A quem tudo falta, nada tem
Nem amor nem vintém

Só te dão desdém

Fico a olhar-te aquém
De expectativas e esperança
Que a tua vida melhore
Que seja rápido, não demore
Que te soprem ventos de mudança

Como eu queria dar-te confiança

Confiança na mudança
No mundo e nos homens
Na cegueira que corrói
Mata e destrói
As tuas brincadeiras
Até mesmo as asneiras
De criança

Roubaram-te os heróis
Taparam-te todos os sóis

Exijo

Que te devolvam a esperança
Que te devolvam a vida
Que te deixem
Somente ser criança

1 comentário:

Angela Ladeiro disse...

Não sou poeta e a sensibilidade que tenho vem-me de outras artes. Leio com vontade, gosto e não sei dizer porquê. Voltarei