Poemas declamados

Loading...

09 maio, 2008

«« Escrevendo ««


É fácil escrever sobre o amor
É o meu tema de eleição
Amor rima com dor
Vivem em perfeita união

E escrever sobre a dor
Mais fácil se torna então
Dor rima com pavor
E ao rancor dá a mão

Agora escrever com paixão
Sobre temas do dia a dia
Nem imaginam a confusão
Que isto me fazia

Mas, escrevia, escrevia
Sobre a guerra, sobre a fome
E aquilo que sentia
Nos meus versos tinha nome…

07 maio, 2008

«« Feliz aniversário ««


Ao romper da alvorada
Um choro se ouve então
Nasceu um filho amado
Entre tanta agitação

Foi assim pois então
Que ao mundo disseste
Bom dia!
Encheste-me de emoção
De muita luz e alegria

Ao mesmo tempo que crescias
Meus sonhos cresciam contigo
Atenta ao que fazias
Meu menino, eras um perigo

O sol nasceu contigo
De olhos virados prá lua
Não te esqueças meu querido
Que esta vida é só tua
Hoje segues o teu destino
A vida que sonhas ter
Nunca saias do trilho
Que traçamos ao nasceres.

03 maio, 2008

«« Para todas as mães ««


Mãe essa mulher sagrada
Quase sempre tão amada
Umas quantas vezes maltratada
Mas, para o bem, e o mal.
É Mãe…


Mãe sou eu, és tu
É aquela que chorou
E que as lágrimas enxugou
Por um filho aos pés da cruz


Mãe
Mulher que deste a vida
Aos filhos que são teus
Quantas vezes estás perdida
E ergues as mãos para Deus


Aos filhos que Deus te deu
Tu dás tudo de ti
Quantas vezes Ele percebeu
Que em vez de chorares, sorris…

«« Gosto ««


Gosto porque gosto
Do teu jeito de ser
Gosto porque gosto
Do teu modo de ver


Do teu modo de dizer
O que eu quero ouvir
Do teu modo de entender
Tudo o que estou a sentir


Teus olhos parecem rir
Quando me ouves calado
Dos sentidos a sentir
No gosto de um beijo trocado


Gosto do sabor a pecado
Quando me apertas assim
Gosto do beijo roubado
Tudo porque gosto de ti

«« Velhice ««


A outra forma de ver
Recordando a meninice
E o que ao mundo veio fazer

Hoje sabe dizer, o velhinho sabedor
Que neste mundo o saber
Não tem preço nem valor
Assim como o bom pastor
O velhinho tão cansado
Vai-nos ensinando o valor
De não viver apressado
O jovem não entende o recado
A mensagem não agradece
Está de olhos tapados
Pensando que não envelhece
Mas ao jovem acontece
E descobre que já tem rugas
E quando a velhice aparece
A vida fica difusa
Quando esquece a parte confusa
O jovem virou velhinho
E continua com a luta
De ao jovem ensinar o caminho…