Poemas declamados

Loading...

23 março, 2009

««Quisera minha alma entender-te««


Coração quisera minha alma entender-te
Como quem entende o chilrear dos pardais
Quisera eu possuir-te, conhecer-te
Por entre os uivos de loucos vendavais

Entre sentimentos e razões desconhecidas
Quisera eu resgatar-te nas areias movediças
Que te transportam em loucuras tingidas
Numa paleta coberta de cores mortiças

Ai coração porque teimas em te afastar
Nessa ira tresloucada que te corrói as entranhas
Porque te vais nessa estrada sem retorno

Porque não procuras onde possas descansar
Uma lanterna que te consiga iluminar
Uma muralha que te ampare sempre que cais

Sem comentários: