Poemas declamados

Loading...

01 abril, 2009

«« Sou eu ««


Corre ao encontro do vento
Abre os braços
Sente a brisa fresca
Nela vais encontrar
Uma borboleta a esvoaçar

Débil, medrosa
Como a mais formosa rosa
O mais simples malmequer
Segura-a entre as mãos
Sente-lhe o bater do coração

Sou eu
Que repouso na tua mão
Sou eu que te digo
Bem te quer
Que te olho em tentação
Querendo te beijar

Corre veloz como o vento
Para que te possa abraçar
Sem pressas, nem tempo
Vem, deixa-te amar
Não importa o lugar
Nem que seja breve
O momento

Escuta
O som do vento
Ele leva-te o meu lamento
Ele leva-te o meu tormento

Ele conta-te como te quero

Sem comentários: