Poemas declamados

Loading...

11 julho, 2010

«« V Alarido ( O peso das minhas duvidas) ««


Pesa-me uma saudade em alarido
Curvo os ombros. Tão grande peso
De uma ausência, um eco descabido
Mas sempre, sempre coeso
Meu Deus que peso cândido
Na sua inocência revela
Que a noite é matreira
É espada de bandido
É mar sem caravela.
Num olhar alongado
Tento vislumbrar uma estrela
Pedirei que ela te dê um recado

Pedirei que te fale do meu peso
Rogarei que te fale com cautela
Que não te acorde sem ouvires, este eco abafado

Sem comentários: