Poemas declamados

Loading...

01 agosto, 2010

«« Carta aos meus leitores ««





As cartas a mim mesma, nasceram pela necessidade que comecei a sentir de me desnudar perante quem me lê. Chega um momento em que quem escreve de maneira assídua como eu o faço, ao mesmo tempo que vou publicando quase tudo o que escrevo na Internet que começamos a sentir uma certa responsabilidade perante os nossos leitores, acho que acontece o mesmo com todos aqueles que se dedicam á escrita, de forma séria, e que sabem que sem a escrita parte da sua vida deixaria de ter sentido.
Um dia farta de escrever e manter em segredo que gostava de o fazer, porque na altura escrevia poesia, ou melhor, fazia umas quadras de vez em quando, abri o Blogue, Escrita Trocada, o mesmo que mantenho desde o dia 29 de Setembro de 2007, aí comecei a publicar tudo o que ia fazendo, só mais tarde entrei no site Luso Poemas, comecei assim a gatinhar na escrita, ao fim de algum tempo já dava passos mais ou menos debilitados, desde o começo que as pessoas que entram no meu blogue me deixam mensagens de incentivo, algumas fazem-no por mail, isso deu-me força para me tentar superar em cada poema escrito, em cada quadra e mais tarde em cada soneto, hoje passado este tempo todo tenho plena consciência que foram os meus leitores, a grande maioria anónimos que me ajudaram a ser o que vou sendo na escrita, aprendi imenso nestes quase três anos e muito me falta aprender ainda, porque tenho consciência que quer seja na escrita ou noutra faina qualquer nunca sabemos tudo, muito pelo contrário sabemos sempre muito pouco, o mundo evolui com uma força estonteante e nós somos diariamente ultrapassados por ele.
A única interacção que mantenho com quem me visita no Blogue é através dos escritos que vou publicando, pois decidi desde o primeiro momento não responder a comentários no blogue, uma das razões, é que acho que a poesia muda de textura aos olhos de cada um, e eu ao contrariar ou apoiar um comentário iria criar um novelo de opiniões, todos sabemos que grande parte dos leitores dos Blogues, o faz precisamente por poder entrar em dialogo, digamos assim, com o autor e com os outros visitantes, eu queria sentir se realmente valia a pena investir nesta cruzada, essa também a razão de não responder a comentários.
Hoje tenho plena consciência que sim, que fiz a escolha certa.
Sinto assim a necessidade de me dar a conhecer um pouco mais, se mais não fosse seria pelo respeito, que todos os que me visitam nos mais variados sítios, onde vou publicando me merecem. O autor ao escrever poesia ou prosa veste-se de mil fatos e encarna mil personagens para transcrever o meio que o rodeia, contudo não acredito na teoria que o autor é um e o homem é outro, não, isso para mim não passa de retórica intelectualizada por quem quer escrever á sombra de alguma coisa, que me desculpem os que discordarem desta minha visão, autora e mulher são uma só pessoa, a mulher sou eu, a autora só escreve aquilo que eu quero que ela escreva, pode escrever sobre histórias verídicas ou ficção, mas escreve tão somente a minha visão sobre determinado assunto, seja amor ou ódio.
Tudo isto para dizer o meu muito obrigado a todos vocês que me lêem, para com todos vocês tenho algumas obrigações, e uma delas é que conheçam a mulher por detrás de cada verso, a outra é tentar manter uma escrita séria e construtiva, tentar mexer com a mente e o coração de quem me lê, acho que essa deve ser a missão de quem tem o dom da palavra, se Deus nos dotou com determinado dom, então vamos fazer desse dom uma arma, certamente não mudaremos o mundo nem mentalidades, mas quem sabe não fica uma semente.
Mas não pensem com isto que vão ficar a saber tudo, não queriam mais nada. Beijinhos a todos.