Poemas declamados

Loading...

13 agosto, 2010

«« Ao (a) visitante Jesus««



Quando a merda não tem cheiro…

Quando a merda deixa de ter cheiro
É sinal que nos habituámos a ela
Quando a merda vira medalha
Está exposta num cubículo

Quando a merda quer ser arte
Ai Jesus mas que estandarte
Parece farinha bichada
Cheia de fungos cinzentos
Que viraram coagulo
No cérebro atrofiado
De um actor mal disfarçado…
Vestiu a roupa ao contrario
Passeia em traje de fake
Exibindo a arrogância
Pobre tolo, mas que ganância
Nem a forte caprichada
Lhe tira o cheiro, a fragrância
A franga do aviário…

Jesus

Agradeço os comentários enviados se era atenção que queria aqui a tem, se era merda aqui a tem também, se voltar a haver próxima vez pode ter certeza que publico tudo o que aqui ou em qualquer outra página minha deixar, só não o fiz desta vez porque quem aqui vem me merece todo o respeito. de qualquer maneira agradeço o tempo que perdeu a pensar que me chocava ou me ofendia, a burrice sim ofende-me agora o exibicionismo barato nunca.