Poemas declamados

Loading...

01 junho, 2009

«« Êxtanse final ««


Senti na minha pele o beijo quente
Arrepio ávido num antevir de paixão
No deslizar da tua mão na minha mão
Pressenti teu libado na corrente

Por entre beijos dados ternamente
Nossas bocas unidas em comunhão
Nossos corpos numa constante mutação
Exalando teu perfume doce e quente

Dois corpos que se fundem num instante
Delírio permanente humedecido
Deleite, seiva que corre abundante

Desliza na minha carne em fluxo extraído
Sumarento como fruto salivante
Êxtase final, que se perde num gemido