Poemas declamados

Loading...

24 junho, 2009

«« Gesto ««



Padeço em cada gesto tirado ao desejo
Gesto que arrebato no instante perdido
Pedaços de alma, soltos num gemido
Bocados de mim, revoltos num bocejo
Padeço os segundos, em que não te conheço
Retalhos sangrentos, um sopro, um solfejo
Murmúrios que me chegam nas águas do mar
Vindos de outros céus, ao longe a miragem
É ela que me conta, na mais fresca aragem
Os teus medos, os teus sonhos, os desenganos
Que tentas esconder no poema absorto
De um verso escondido que finge estar morto
Mas que o mar atento consegue desbravar
E me fala na areia nas ondas a bailar
Das rimas perdidas que pensas ocultar
Padeço em cada gesto tirado ao desejo
Retalhos de um poema que escreves na água
Inquieta disfarço o choro num lampejo