Poemas declamados

Loading...

07 julho, 2009

«« Destino ««


Perguntei à lua
Porque espera pela aurora
Ela respondeu
É minha sina, e sua
Perguntei ao sol
Porque espera pela lua
Olhou para mim, sorriu
-Mas que pergunta a tua
Eu nada sou sem ela
Nem ela vive sem mim
Dois amantes apaixonados
Que se vêem só ao longe
Carícias num olhar
Beijos ao de leve distantes
A aurora a despertar
No encontro dos amantes
Ou a noite a se abeirar
Caindo em trevas constantes
Assim é nosso destino
Na roda do equilíbrio
Assim é tua sina
Percorrer o labirinto
Da vida que vais trilhando
Umas vezes é o instinto
Que te empurra nessa estrada
Outras vezes é tua alma
Que te eleva na jornada.

Sem comentários: