Poemas declamados

Loading...

20 fevereiro, 2009

««Olha a saudade««


Já olhas-te de frente a saudade
Aquela que machuca a existência dia a dia
Nos fere com flechas de fel e nostalgia
Nos conduz por clareiras de ansiedade

Saudade de um amor da eternidade
Transcrito para o papel em poesia
Tentando acalmar a sede em água luzidia
Despindo a alma, vertendo cumplicidade

Já tentaste perguntar se é amor
A saudade que te traz rimas de dor
A que escreves em mil palavras de ilusão

Pergunta à saudade perdida no tempo
Buscando amor no campo ao relento
Porque foge de mim, me afasta de ti, qual razão

Sem comentários: