Poemas declamados

Loading...

18 fevereiro, 2009

««Coração««


Coração despido do ser
Que teima em nada ver
Pedaço de vidro transparente
Socalco de terra sangrenta
Nuvem que corre e logo rebenta

Coração quebrado em pedaços
De ilusão
Retalhado em barro nas tuas mãos
Coração de água barrenta
Temendo a paixão, ilusão

Pressentindo que a noite já espreita
Como ela é escura, como ela é fria
Coração que olhastes nos olhos meus
Quem diria, que sofrias
Deslumbramento em águas luzidias

Grossas gotas de orvalho
Regam tuas raízes
Coração pedaço de alma
Rocha de angustia em deslize
Que a vida olha de um declive

Ou serás antes coração dos infelizes
Que teimam em dizer que a dor
São saliências e ausências
Na busca continua do amor
Reticencias …

Sem comentários: