Poemas declamados

Loading...

07 outubro, 2010

«« Raiz quadrada ««


É um não sei quanto de raiz quadrada
Radicalmente falando do meu pensamento
Desconfio que o pé, é inerte
Polivalência da minha insanidade
Subo dorida os degraus viciados
Sentença herdada à nascença
Por que me perco no alheamento
Que a poesia me traz

Não será a raiz quadrada a fuga
Sei que do fundo da alma me saem faíscas
Tantas vezes espadas afiadas
Com que te trespasso o coração
Fico indiferente à tua aflição

É o meu ego que fala mais alto
E não me deixa olhar-te pelo prisma
Que me lê

Imaginando que sou a raiz quadrada no poema.

Sem comentários: