Poemas declamados

Loading...

05 maio, 2009

«« Sem volta ««


Percorro um caminho sem volta
Sem desvios, ou encruzilhadas
Percorro um caminho sem volta
Estrada fora sou arrastada

Arrastada ao Deus dará
Ora aqui ora acolá
Salto muros e barrancos
Rebolo feito uma bola
Salto, salto aos solavancos
Pedindo aqui e ali esmola

E se algo me consola
É saber que não vou só
A todos a vida enrola
Todos cabem na sacola
De nenhum ela tem dó
Afinal viramos pó
Nada somos nada seremos
Desde o dia em que nascemos
Até ao dia em que morremos

Somente o que fizemos
De bom ou errado na vida
Apenas isso levaremos
No dia da despedida
Amanhã serás esquecida
Teu corpo de terra coberto
Tua alma destemida
Voará em céu aberto

Nem isso temos de concreto.

Sem comentários: