Poemas declamados

Loading...

06 maio, 2009

«« pedra no sapato ««


Falta-me não sei o quê
Talvez a razão do porquê
Falta-me a trave mestra
No tempo que ainda me resta
Tão somente o meu quinhão
De terra em composição
Aquele ombro amigo
Que esteja mesmo comigo
Dói esta pedra no sapato
Que me rói ao desbarato
Sem penas ou compaixão
Queria só o meu quinhão
De terra , só tenho mato.

Por vezes sou um ingrato.

1 comentário:

LORENZO MONSANTO disse...

Por vezes, somos todos assim...ingratos.