Poemas declamados

Loading...

24 maio, 2009

«« Aos poetas que estiveram presentes fisicamente e em pensamento no encontro Luso.««


A chuva límpida caiu em cascata
Regozijo da primavera
Acompanhou a visita guiada
Que se deu por entre a bela,
Terra de moira encantada
Valente guerreira errante
Guarda as arcas sagradas
Dos poetas viajantes
Não vão abrir a da peste
E ficarem cambaleantes

Eram vinte, todos atentos
Ás pedras que contaram
A história da velha muralha
Tantos séculos já passaram
Ela sobrevive á batalha
Por entre o sol e o vento
Mantêm seu porte altivo
Defende senhores e gentios
De moiro guerreiro vingativo
Chamado tempo.

Muralha doente e velhinha
Vai contando a sua história
Ao poeta que caminha
Pela terra da memória
Aqui e ali se deleita
Com a imagem sempre perfeita
Que descansa a seus pés
Cidade de Montemor
Abraça a muralha de lés a lés
Vai dizendo ao poeta com graça
O quanto é vaidosa por ser como é.

1 comentário:

José Rasquinho disse...

Um belo presente para todos os que visitaram Montemor neste dia!
Parabéns!