Poemas declamados

Loading...

18 janeiro, 2009

«« No tempo que me resta««


Busco por entre o silêncio
Do tempo que me resta
Busco uma sombra , fina aresta
Tal flecha envenenada
Que acerta no meu coração
E me transforma em nada

Busco na noite fria
Eterna solidão, parca ilusão
E ouço! Mera imaginação…
A tua voz dizer com paixão
Palavras de amor
Que me falam ao coração

No silêncio dos anos vindouros
Buscarei por sons de besouros
Sozinha estarei, imaginarei

No silêncio de um quadro pintado
Em noites tão longas, caminhos trocados
Pintarei um leve ondulado, desmaiado
Do teu calor dormindo ao meu lado

Resta-me falar com o silêncio calado
Deste quadro pintado
Desejado, jamais alcançado

Sem comentários: