Poemas declamados

Loading...

08 janeiro, 2009

««Minha escrita turbulenta««



Em tempos consegui escrever
Versos de amor cintilantes
De uma beleza tal
Tal qual puro cristal
Esculpido por eternos amantes

Não, por mim não chores
Se perdi a escrita vistosa
Tal qual a bela rosa
Tudo tem seu tempo de vida

Ficou mais diluída
Minha escrita mentirosa
Restou uma rima fingida
Que inverte poemas em prosa

Quem sabe é mais corajosa
Esta escrita turbulenta
Que conta de forma airosa
As dores que minha alma enfrenta

Quando meu corpo não aguenta
Meus sentidos se esvaziam
Minhas escrita é um mural
Lavado com água benta
De uma pia baptismal

E então, passo a escrever
Sobre o bem, e sobre o mal
De igual para igual
Deixando para trás, minha escrita angelical

Sem comentários: