Poemas declamados

Loading...

09 setembro, 2010

«« Acaso ««


Acaso…

O acaso de um poema caído
Em beiral raso de um muro perdido
Acaso de um ocaso
Inebriado ao poente
Sob a luz do teu olhar

Acaso no ocaso
Deslumbramento nos raios mortiços
De um sol buscando a lua
O descanso de um dia
Num apertar de braços
Um descer de rua
Sorrir de alegria
Acaso nas frases raiadas
Pela saudade
Ocaso de um beijo doce
Duas taças meladas
Maviosa liberdade
Que o vento trouxe

Um ano de atraso
No acaso do ocaso
Um muro raso
Mil vontades num vaso

De vidro translúcido.