Poemas declamados

Loading...

07 maio, 2010

«« Isto é poesia ««


Passa a água por debaixo da ponte
Leva tudo rio abaixo, leva as mágoas
Leva lágrimas, leva palavras
Numa correria tétrica e constante

Ás vezes penso, quando secará a fonte
Que inunda de vida as crateras abertas
Pela correnteza que vasculha as almas
Dos poetas, que vêem no horizonte

O caudal do rio ao longe, em versos
Que derramam da alma já gasta e fria
Por vezes a frieza amordaça os lábios

Mas um rio de ideias galga por magia
O leito espelhado numa folha de papel
Encharca por onde passa, isto é poesia.

Sem comentários: