Poemas declamados

Loading...

12 junho, 2010

«« Já saí ««


Por mais que diga ou pense
Não sei onde é o limite
O ponto exacto antes do cume

Onde começo eu e terminas tu

Por mais que diga ou pense
Não me reconheço
Nem te conheço
Somos dois desconhecidos
Numa luta constante, egocentrismo
Caminhos paralelos, sem se cruzarem
Já sei que vais dizer

Afinal quem és

Eu direi, sou nada
E o nada nunca ocupa espaço
Falta-lhe desembaraço
Para ser
E eu vou perguntar

Porque voltas

Vais olhar para mim
Como se não me visses
Num encolher de ombros
É o hábito

Mas eu quero ser mais
Muito mais
Quero ser o sol que te aquece no Inverno
Quero ser a água que te mata a sede
O vinho em que te deleitas
Quero ser o teu doce pela manhã

Viras-me as costas
Num gesto a medo

Quando te voltares eu já saí.
O mundo lá fora não espera
E eu vou caminhar ao encontro da lua.

Sem comentários: