Poemas declamados

Loading...

16 dezembro, 2008

«« Vidas««


Vidas retalhadas, desnudadas
Com as vísceras dilaceradas
Pela essência da demência
Pelas horas trocadas
Os minutos, os segundos
Encalhados num oceano profundo

Vidas encalhadas
À espera de não sei o quê
Que haja hora, que seja agora
Este mês, ou talvez para o ano
Vidas de desengano
Num mundo tirano

Criado por nós, por nossos avós
Que inventamos
Que quando amamos
Jamais estamos sós.

Sem comentários: