Poemas declamados

Loading...

07 dezembro, 2008

««Amigos fieis««




Esvaziei-me de tudo
Principalmente de mim
Esvaziei-me
Do crer, do fazer, do sentir

Ao ficar assim vazia
Virei uma marioneta
Sem vontade sem hora certa
Afinal o que me resta
Uma folha de papel
E uma caneta meio gasta

São meus amigos fieis
Umas vezes são meigos
Outras são tão cruéis

Esvaziei-me da dor
Esvaziei-me do rancor
Da culpa, da nostalgia
Esvaziei-me de amor
E até da alegria

Assim terminei o dia
A noite está a chegar
A uma folha de papel
Minhas mágoas vou contar.

Sem comentários: