Poemas declamados

Loading...

05 novembro, 2007


Criança de olhar vazio
Vives da esmola dada
Vives na vida com frio
Triste sorte malfadada

Sentada nessa calçada
Vais estendendo a mão
Recolhes sobras de nada
Em bolinhas de sabão

Tocando uma alegre canção
Distrais o povo que passa
Vais recolhendo a ilusão
Na moeda que cai na caixa

Percorrendo as esquinas da Baixa
Da rua Augusta ao Rossio
Pareces a maré baixa
Que foge nas águas do rio

Que foge nas águas do rio
E que termina no mar
Criança de olhar luzidio
Que fizeste para tal penar??

Sem comentários: