Poemas declamados

Loading...

18 março, 2008

«« Os dois ««


Obscuro…
Como obscura pode ser a vida
Sem porto seguro
E com causa perdida

Brilhante …
Como brilha o amor verdadeiro
Cantando uma melodia
Que embala o mundo inteiro

São dois seres matreiros
O escuro e o brilho da luz
Enganam qualquer um por inteiro
Quando gritam com voz que seduz

A vida a isto se traduz
Somos aquilo que fazemos
Ou enfiamos um grande capuz
Ou saltamos o muro, e corremos

Nem sempre fazemos, ou temos
Preferimos olhar e não ver
É tão simples, bastava querer-mos
E o querer tudo pode vencer

É para ti, que estou a escrever
Que em ti vais perdendo a esperança
Olha-te ao espelho com olhos de ver
Em ti volta a ter confiança…

1 comentário:

Anónimo disse...

Poema simples mas carregado de sentimento e profundidade.Ein